• Por: Maria Rita Werneck

Kurt Cobain – A Construção do Mito


Em 2014, completa 20 anos da morte de Kurt Cobain, vocalista e líder do Nirvana, que tirou a própria vida com uma espingarda. Nesse mesmo ano, era lançado “Kurt Cobain – A Construção do Mito” (editora Agir), livro escrito pelo jornalista Charles R. Cross, testemunha ocular do apogeu e declínio do grunge e de Cobain.

Por ter vivido bem de perto o surgimento do movimento musical de Seattle (que mais tarde seria batizado de Grunge), Charles –na época editor chefe da The Rocket, uma das mais influentes revistas de música do Estado de Washington – consegue nessa publicação analisar e avaliar sem exageros de dramas e romantismos como Kurt Cobain partiu da figura franzida, tímida para o maior astro de rock dos anos 90 (e um dos mais cultuados até hoje).

A narrativa é construída a partir de lembranças pessoais (como, por exemplo, o momento que ele soube que Kurt havia morrido), fatos noticiados, depoimentos colhidos através de entrevistas feitas para esse material ou conseguidas ao longo de sua carreira como jornalista e experiências de estar no lugar e na hora certa para viver na pele o que era ser um jovem de Seattle, em pelo o surgimento de bandas como o próprio Nirvana, Pearl Jam e Sound Garden. A maioria dessas grandes bandas teve como primeiras reportagens as páginas da Recket.

O termo “construção” do subtítulo foge do pejorativo. Ele em nenhum momento descredibiliza o talento e importância de Kurt. Pelo contrário, ele revela fatos e histórias que provam que ele é até muito mais do que se conheceu sobre ele pelos tabloides. Infelizmente, a grande maioria o associa ao suicídio e uso de drogas. Mas o parceiro de Dave Grohl e Krist Novoselic não só era um artista nato como usava a sua arte para transmitir mensagens de respeito à diversidade, feminismo e liberdade de expressão.

“Kurt Cobain – A Construção do Mito” traz uma análise feita do impacto da obra e morte do artista exercida nos primeiros 20 anos da tragédia (já anunciada algumas vezes), sob vários aspectos da sociedade. Você sabia que o grunge virou o mundo fashion pelo avesso? É uma leitura envolvente, que traz um pouco de nostalgia para quem nos anos 90, mas também serve como uma excelente forma das novas gerações conhecerem mais, profundamente, quem foi o esse homem que é considerado o pai de um dos movimentos musicais/comportamentais que criou um novo episódio da história da cultura, assim como os hippies fizeram no final dos 60’.

Quem imaginaria que ele aquele cara descabelado, vestido naquela camisa de listras verdes, seria uma das personalidades mais importantes do século passado?


14 visualizações0 comentário
© ROD - Todos os direitos reservados
Canva_yellow.png