• Maria Rita Werneck

Rick Longo (ex-Starla) lança novo disco

Atualizado: 8 de Jul de 2020



A cena de rock soteropolitana sempre foi rica e plural. Raul Seixas, Úteros em Fúria, The Dead Billies, Pitty, Penélope, Casacadura...Ufa...A lista é grande e bem recheada de nomes que se apresentavam na capital baiana e pelo Brasil com seu estilo e força.


No início da primeira década dos anos 2000, os veteranos roqueiros ganharam mais parceiros para essa cena que continuava concentrando as apresentações no Rio Vermelho e Pelourinho - muitas vezes também passavam pela brisa da Barra (salve World Bar e Groove Bar, importantes casas noturnas dessa época).


Entre 2002 e 2005, rock brasileiro recebeu uma injeção de nitroglicerina com o lançamento dos álbuns Admirável Chip Novo (Pitty) e Ventura (Los Hermanos) e isso influenciou muito no surgimento de novas bandas roqueiras pelo país e em Salvador não foi diferente. Pelos redutos alternativos da capital baiana, encontrávamos as dobradinhas de grupos formados por uma 'tchurma' de vinte e poucos anos que queria fazer música autoral e em português. Entre os nomes de destaque, estava a Starla, formada por cinco rapazes influenciados pelo rock alternativo e britpop dos anos 90.



Rick Longo era um desses músicos. A Starla já não existe mais, porém o cantor, compositor e multi-instrumentista continuou sua carreira, só que dessa vez solo, dando pausa dos palcos e mergulhando no home studio. Há cinco anos, Longo mora em São Paulo e assim que chegou, resolveu que não ficaria longe da música e adotou o bom e velho esquema ‘do-it-yourself’:Em 2015, quando vim pra São Paulo, percebi que lançar um disco com o projeto seria uma maneira legal de me manter ativo, fazendo música, mesmo estando distante da maioria dos meus parceiros musicais. Assim, escolhi as onze músicas que mais gostava e trabalhei em cima delas, o que deu no disco Homesickology, primeiro álbum do projeto The Moon Expresso.






Agora em 07 de julho, Rick lança Ever The Optimist, segundo álbum de The Moon Expresso. Se Homesickology era influenciado pelo dream pop e música eletrônica; Ever The Optimist traz uma produção mais “robusta”, como explica o músico que afirma que criar sozinho é quase que uma terapia: “O Homesickology foi um álbum propositadamente mais lo-fi, gravado inteiramente com instrumentos sintetizados e com um trabalho mais rudimentar de produção. Para o Ever the Optimist, eu resolvi incorporar instrumentos físicos, como violão, baixo e guitarra, além de utilizar novos equipamentos para fazer uma produção um pouco mais robusta. É minha intenção que o Moon Expresso continue sendo algo nesse esquema independente e caseiro, mas percebi que há margem para tentar me aprofundar mais nas minúcias da produção.”







Do novo trabalho já foram lançados dois singles: “Bye Bye Verão” - é uma canção escrita ainda na época do Starla que revela a grande paixão que Rick tem pelo disco Adore, do Smashing Pumpkins, devido a mistura do acústico com o eletrônico percebida na faixa - e “Disilusion”, onde ele divide os vocais com a esposa e também contemporânea roqueira soteropolitana, a cantora e compositora Mariana Diniz (ex-Matiz).



Mariana Diniz

“Eu tinha um pouco de receio em chamar convidados, por dois motivos: o primeiro é que, como não gravo em um estúdio profissional, fica mais fácil se eu mesmo fizer tudo e não precisar contar com mais ninguém. O segundo é que o Moon Expresso começou como algo completamente pessoal e solitário, em contrapartida à Starla. Mas é aquela coisa: eu era um grande fã da Matiz e a vocalista tá aqui em casa. Então por quê não tentar, né? E terminou que foi super de boa e Mari matou a parte dela em uma noite, precisando de pouquíssimos takes. O resultado foi uma das minhas produções preferidas entre todas que já fiz parte até hoje, tanto é que escolhi pra ser o single principal do Ever the Optimist.


Além de Mariana Diniz, o álbum também conta com as participações de James Marijetich, um amigo neozelandês que participa da faixa instrumental "Alerta Laranja". De casa, em Auckland, ele gravou a narração usada na produção e mandou por email, algo que “seria muito mais difícil de viabilizar nas épocas que eu gravei com a Starla”, relembra o músico que se inspira em nomes como Radiohead, LCD Soundsystem, Gorillas, M83, Nine Inch Nails e Depeche Mode para fazer essa “ponte” entre o eletrônico e o rock.


É possível ouvir Ever the Optimist em diversas plataformas digitais.

Bandcamp:https://themoonexpresso.bandcamp.com/track/bye-bye-ver-o

Spotify: https://open.spotify.com/album/4WfRn7BGFAJDIqnfV6DQhw

Stream no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=yhm5-JBF0Cc


27 visualizações0 comentário
© ROD - Todos os direitos reservados
Canva_yellow.png